Cristãofobia está substituindo o anti-semitismo do século XX, adverte Bispo espanhol

MADRI, 25 Jan. 11 / 04:58 pm (ACI).- O Bispo de San Sebastián (Espanha), Dom José Ignacio Munilla, defendeu a liberdade religiosa dos cristãos nos países do Ocidente e Oriente, onde o laicismo e os fundamentalismos islâmico e hindu estão fazendo que a Cristãofobia ocupe o lugar do anti-semitismo do século XX.

Em seu artigo “De deuses e homens”, publicado este 23 de janeiro, Dom Munilla afirmou que “é um fato que a liberdade religiosa não é respeitada nem por uns nem por outros (…). O laicismo do Ocidente difunde um racionalismo anti-religioso, enquanto que os fundamentalismos do Oriente impulsionam uma religiosidade irracional”.

O bispo indicou que isto coloca os cristãos árabes “em meio de um perigoso “sanduíche”: suspeitos de cumplicidade com os Estados Unidos, pelo mero fato de ser cristãos; e ao mesmo tempo ignorados por um Ocidente laicista que se envergonha de suas raízes”.

Entretanto, o Bispo afirmou que o diálogo inter-religioso do cristianismo com o islã e o hinduísmo é viável, pois “o verdadeiro choque de trens se produz no encontro do laicismo, por um lado, e o fundamentalismo, pelo outro, que se retroalimentam, até o extermínio”.

O bispo afirmou que um exemplo é o filme francês “Dos homens e dos deuses”, do diretor Xavier Beauvois, que relata a tomada do monastério cistercense de Monte Atlas (Argélia) por parte do Grupo Islâmico Armado em meados de 1996 e que terminou com a decapitação dos sete monges.

Dom Munilla afirmou que o filme “recolhe com fidelidade a boa harmonia destes monges cristãos com os habitantes muçulmanos daquela região, ao mesmo tempo que a irrupção repentina do fundamentalismo islâmico, que muda por completo o cenário de convivência pacífica”.

“Longe de ser um filme que se vale do fundamentalismo para satanizar o Islã em conjunto, este reflete de forma sobressalente o ideal do diálogo inter-religioso propugnado pela Igreja no Concílio Vaticano II”, afirmou.

Dom Munilla recordou que em sua mensagem para o Dia Mundial da Paz deste ano, o Papa Bento XVI assinalou que a liberdade religiosa é o caminho para a paz e para encontrar a verdade, porque esta “não se impõe com a violência mas pela força da própria verdade”.

Compartilhe:
WhatsApp Image 2022-11-16 at 00.03.22
Faça a sua doação e ajude a manter a nossa comunidade ativa e próspera

Conteúdos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar todos os cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing.
Políticas de Cookies
Configurações de Cookies
Aceitar todos Cookies
Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar todos os cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing.
Políticas de Cookies
Configurações de Cookies
Aceitar todos Cookies