Corpus Christi, entenda um pouco mais!

No mês de junho, a Igreja Católica de todo mundo comemora a festa de Corpus Christi, palavra de origem latina que significa “Corpo de Cristo”. Essa festa acontece toda primeira quinta-feira depois do Domingo da Santíssima Trindade e, como o próprio nome sugere, é a festa do Corpo de Cristo, a festa da Eucaristia, momento em que nós católicos reverenciamos Jesus Eucarístico, presente na Santíssima Eucaristia, na hóstia consagrada, tesouro maior da nossa fé, da nossa vida, o pão da vida, aquele que sacia toda fome.
A data para se celebrar o corpo e o sangue de Jesus Cristo materializados na Eucaristia surgiu no ano de 1264 e foi instituída pelo Papa Urbano IV, que conheceu pessoalmente ambos os acontecimentos que culminaram com a instituição da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo:

  1. Uma visão de Santa Juliana de Liège, religiosa agostiniana belga, e
  2. Um milagre eucarístico ocorrido na cidade de Bolsena, na Itália.

O Papa Urbano IV conheceu Santa Juliana de Cornillon enquanto era arquidiácono em Liége na Bélgica.  Ela, que é reconhecida como mística da Igreja, com a idade de 16 anos teve uma primeira visão, que depois se repetiu várias vezes nas suas adorações eucarísticas. A visão apresentava a lua no seu mais completo esplendor, com uma faixa escura que a atravessava diametralmente. O Senhor levou-a a compreender o significado daquilo que lhe tinha aparecido. A lua simbolizava a vida da Igreja na terra, a linha opaca representava, ao contrário, a ausência de uma festa litúrgica, para cuja instituição se pedia a Juliana que trabalhasse de maneira eficaz: ou seja, uma festa em que os fiéis pudessem adorar a Eucaristia para aumentar a fé, prosperar na prática das virtudes e reparar as ofensas ao Santíssimo Sacramento. Percebemos que o propósito revelado por Jesus a Santa Juliana permanece muito atual e cada dia mais necessário nestes tempos em que cada vez mais presenciamos profanações e sacrilégios para com a Eucaristia, com o Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo materializado nas hóstias consagradas.

O milagre de Bolsena Orvieto aconteceu quando um sacerdote alemão chamado Pedro de Praga,  estando de passagem pela cidade de Bolsena, na Itália, ao celebrar a Eucaristia sobre o túmulo de Santa Cristina, enquanto estava pronunciando a Oração Eucarística, a hóstia começou a verter sangue, que começou a escorrer por suas mãos, descendo até o corporal, deixando o padre atônito a ponto de parar a Missa e pedir que o levassem até o Papa Urbano IV, que na ocasião residia em Orvieto, cidade vizinha de Bolsena. O Papa ouviu o relato do padre e o absolveu. Mandou então emissários para uma investigação imediata. Quando todos os fatos foram confirmados, ele ordenou ao bispo da diocese que trouxesse a Orvieto a hóstia e o pano de linho contendo as manchas de sangue. Juntamente com arcebispos, cardeais e outros integrantes do clero, o Papa, de modo exemplar, escolheu celebrar a solenidade pela primeira vez na Catedral de Orvieto, a primeira procissão de Corpus Christi! Ficava então instituída a Festa de Corpus Christi, oficializada pela Bula Transiturus de hoc mundo (“Passando deste mundo”). As relíquias do milagre eucarístico de Bolsena, o corporal de linho contendo as marcas de sangue ainda está reverentemente conservado e exposto na Catedral de Orvieto. Tomás de Aquino, o exímio teólogo, acompanhava o Papa e a ele foi confiada a missão de compor os textos do ofício litúrgico para a nova festa em honra ao Santíssimo Sacramento. Desses textos nasceram lindíssimos cânticos eucarísticos cantados até hoje.

Para nós católicos, a festa de Corpus Christi, pedida por nosso Senhor Jesus Cristo, é a festa litúrgica da adoração eucarística, momento ímpar de “aumentar a fé, avançar na prática da virtude e reparar as ofensas ao Santíssimo Sacramento”

A participação na Festa de Corpus Christi é uma ocasião única para nós Católicos demonstramos publicamente nossa fé na Presença Real de Jesus na Eucaristia, de repararmos as ofensas ao Seu Sacratíssimo Coração, é a Festa do Corpo de Deus porque ali está a presença de Jesus em seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Nossos olhos veem a hóstia apenas, mas a fé nos diz: É o Senhor! A fé completa o que os sentidos não conseguem alcançar.
Aproveitemos a Festa de Corpus Christi para repararmos o Coração Eucarístico de Jesus, ofendido tantas vezes por nós católicos, com nossa falta de fé, nossa pouca disposição em adorá-Lo, nossa frieza ao recebe-Lo na Eucaristia, não dando a esse ato a importância tamanha que ele tem: a de transformar as nossas vidas a cada Santa Missa. Não desperdicemos a graça de sermos tocados pelo Sagrado e transformados por sua ação em nossas vidas. Amemos Jesus na Eucaristia! Tesouro maior das nossas vidas! 

Ana Marta Fonseca
Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

Tags:

  ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●  

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça a sua doação e ajude a manter a nossa comunidade ativa e próspera

Conteúdos Relacionados

Recomeços

A multidão se aglomera, alguém começa a contagem regressiva e, de repente, eles começam a explodir no céu. Eles são lindos, de diversas cores e

Leia mais »
Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar todos os cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing.
Políticas de Cookies
Configurações de Cookies
Aceitar todos Cookies
Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar todos os cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing.
Políticas de Cookies
Configurações de Cookies
Aceitar todos Cookies