Como rezar o terço de Nossa Senhora das Lágrimas

A aparição de Nossa Senhora das Lágrimas ocorreu para a Irmã Amália, uma jovem que nasceu na Espanha, em 1901, que recebeu a visita de Nosso Senhor diversas vezes durante toda a sua vida e que desejava se entregar totalmente a Cristo como religiosa.

Amália veio para o Brasil, em plena epidemia da gripe espanhola, e se estabeleceu em Campinas-SP, onde buscou uma comunidade religiosa para se tornar freira. Entretanto, foi recusada em todas, pois só existiam, na época, comunidades missionárias e que exigiam que as freiras fossem professoras e que tivessem uma habilidade de comunicação, o que Amália não possuía. Amália se queixa a Nosso Senhor, que lhe responde que a Congregação que Ele destinou a ela ainda não tinha sido fundada.

História da Congregação

Dom Francisco de Campos Barreto, então bispo da diocese de Campinas, vendo a necessidade, na época, de instruir as pessoas na fé, teve o desejo de fundar uma Congregação e, para isso, precisava de freiras para o seu “exército”.

Nessa mesma época, os pais de Maria Villac, imigrantes franceses, compram uma propriedade, transformam-na em hotel e é onde, futuramente, seria o local da aparição de Nossa Senhora das Lágrimas.

A família de Maria Villac, futura Madre Maria Villac, era bastante religiosa e a jovem também quis seguir por esse caminho. Ela decide reunir um grupo de amigas, contanto sete com ela, para dar catequese na periferia de Campinas.

Nesse tempo, Dom Barreto conhece a irmã Amália na Catedral de Campinas.

Maria Villac é orientada a comunicar a Dom Barreto sobre o apostolado que ela e suas amigas estavam realizando e, assim, foi até ele pedir a sua benção. Em contrapartida, o bispo buscava moças para a sua desejada Congregação e decide dar a benção ao grupo de amigas, como elas queriam, mas como a Igreja precisava. Dom Barreto convida Madre Villac a ser fundadora com ele de sua Congregação, consagrada a Jesus Crucificado e às dores de Nossa Senhora, sendo Maria Villac e suas amigas as primeiras religiosas da nascente instituição e Maria Villac aceita.

Dom Barreto também se lembra de Amália e a convida para fazer parte de sua Congregação, onde as irmãs usariam o hábito azul e o véu branco. Amália se lembra do que o Senhor lhe havia dito: a Congregação na qual Ele a queria não havia sido fundada e Amália decide aceitar e integrar o grupo, sendo o oitavo elemento. Ela é apresentada a Maria Villac, e elas acabam se tornando amigas. O pai da Madre Villac acaba doando o hotel para as freiras e ali se inicia a Congregação das Missionárias de Jesus Crucificado.

Oração da Coroa das Lágrimas

Certo dia, um parente de Madre Villac, saindo do hospital que ficava perto do convento, vai ao encontro da Madre para pedir orações por ele e sua esposa, que era mãe e estava muito doente, tendo sido desenganada pelos médicos. Porém, quem o atende no convento é a Irmã Amália.

Amália vai até a capela do convento e, diante do altar, pede a Nosso Senhor que aceite trocar a vida dessa mãe pela vida dela. Nosso Senhor aparece para ela e diz que aceita, mas diz que Amália não iria morrer. Ao invés disso, Ele pede que ela reze. Irmã Amália aceita e pergunta como ela deveria rezar. Com isso, Jesus responde:

“Eu guardei por 20 séculos aquilo que vou lhe dar agora. Durante 20 séculos, as pessoas honraram muitos mistérios de Minha Mãe, mas nunca honraram um mistério que eu guardei para este tempo, que são as lágrimas de Minha Mãe. As lágrimas de Minha Mãe caíram por terra e ninguém as recolheu. Mas essas lágrimas são como pérolas, que foram guardadas para este tempo da Igreja. Eu, no caminho do Calvário, das coisas que mais Me custaram, foi encontrar com a Minha Mãe que chorava. Aquilo que eu sofri na carne, ela sofreu no coração. Por conta das lágrimas da Minha Mãe, Eu derramei também muitas lágrimas, por ver o sofrimento daquela que mais Me amou na Terra e que mais Me ama no céu”.

Então, Jesus explicou que, quando ela fosse rezar, rezasse assim: “Vede, meu Jesus, são as Lágrimas d’Aquela que mais Vos amou na Terra e que mais Vos ama no Céu”. Por fim, Ele pede que ela insista assim: “Meu Jesus, ouvi os nossos rogos, pelas Lágrimas de Vossa Mãe Santíssima”. Jesus ainda explica e acrescenta: “Qual é o filho que não se comove com as lágrimas de sua própria mãe? Daqui a um tempo, a Minha Mãe vai vir e vai entregar a você uma herança, que é um penhor de glória. Primeiro, para o Instituto das Missionárias de Jesus Crucificado; e depois, para a Igreja”.

A aparição de Nossa Senhora das Lágrimas e a Coroa das Lágrimas

Em 8 de março de 1930, Irmã Amália estava rezando na capela do convento, quando Nossa Senhora se mostra a ela, com vestido rosado, um manto azul e com um véu branco, cuja ponta estava jogada para o lado, e, nas mãos, Nossa Senhora trazia um rosário de contas brancas, o qual ela chama de “coroa das minhas lágrimas”. Nossa Senhora ainda acrescenta: “As orações, o meu Filho já ensinou”.

Amália viu que eram 7 mistérios, com 7 contas cada um, entremeados por uma conta maior. Dom Barreto, posteriormente, discerniu que a primeira invocação “Vede, meu Jesus, são as Lágrimas d’Aquela que mais Vos amou na Terra, e que mais Vos ama no Céu” seria rezada nas contas grandes.

Já “Meu Jesus, ouvi os nossos rogos, pelas Lágrimas da Vossa Mãe Santíssima”, como é uma rogação, seria rezado nas contas menores. Além disso, havia nas pontas três contas, nas quais se rezaria 3 vezes: “Vede, meu Jesus, são as Lágrimas d’Aquela que mais Vos amou na Terra, e que mais Voa ama no Céu”.

Posteriormente, Nossa Senhora se mostra novamente para Irmã Amália, mas, dessa vez, ela se mostra junto com Jesus. Por ordem de Nossa Senhora, Amália pede para ser gravado em uma medalha aquilo que ela viu nessa aparição; e essa medalha teria que ser colocada no começo da Coroa.

A frente dessa medalha contém a imagem de Nossa Senhora das Lágrimas, com as mãos estendidas, segurando a Coroa, com os olhos baixos, a fim de representar que ela vinha ao encontro das necessidades de seus filhos. Jesus ensina duas jaculatórias, sendo uma delas colocada ao redor da imagem de Nossa Senhora: “Ó Virgem Dolorosíssima, as Vossas Lágrimas derrubaram o império infernal”.

Já no verso da medalha, está a imagem de Jesus Manietado, com as mãos atadas, sendo preso. Ao redor dessa imagem, foi colocada a outra jaculatória: “Por Vossa mansidão divina, ó Jesus Manietado, salvai o mundo do erro que o ameaça”.

Nossa Senhora prometeu algumas graças para esta devoção:

1-Esta coroa teria uma eficácia muito grande na conversão dos espíritas (na década de 30, o espiritismo estava ganhando corpo no Brasil).

2-Há uma promessa de Nosso Senhor, que está reservada para este tempo, mas que vai se manifestar em outro momento. Nossa Senhora diz: “A oração da Coroa das Lágrimas servirá para a conversão de uma parcela importante da Igreja que irá aderir a uma heresia muito grave (o comunismo).

3-A Coroa das Lágrimas tem ainda uma eficácia de exorcismo e de poder sobre as hostes infernais (Dom Barreto testou isso em alguns exorcismos).

Rezando a Coroa de Nossa Senhora das Lágrimas

Tomando nas mãos a Coroa das Lágrimas (terço branco, com 7 mistérios, tendo 7 contas cada mistério):

1-Oração Inicial:

Eis-nos aqui aos Vossos pés, ó dulcíssimo Jesus Crucificado, para Vos oferecer as lágrimas d’Aquela que com tanto amor Vos acompanhou no caminho doloroso do Calvário. Fazei, ó bom Mestre, que saibamos aproveitar as lições que elas nos dão, para que, na Terra, realizando a Vossa Santíssima Vontade, possamos um dia no Céu Vos louvar por toda a eternidade.

2-Contas Grandes:

                Vede, meu Jesus, são as Lágrimas d’Aquela que mais Vos amou na Terra, e que mais Vos ama no Céu.

3-Contas Pequenas:

                Meu Jesus, ouvi os nossos rogos, pelas Lágrimas da Vossa Mãe Santíssima.

4-No fim, repete-se três vezes:

                Vede, meu Jesus, são as Lágrimas d’Aquela que mais Vos amou na Terra, e que mais Voa ama no Céu.

5-Oração Final:

                Virgem Santíssima e Mãe das Dores, nós Vos pedimos que junteis os Vossos rogos aos nossos, a fim de que Jesus, Vosso Divino Filho, a quem nos dirigimos em nome de Vossas lágrimas de Mãe, ouça as nossas preces e nos conceda, com as graças que desejamos, a coroa da vida eterna. Assim seja. Amém.

6-Jaculatórias finais (para rezar contemplando e beijando a medalha):

                Por Vossa mansidão divina, ó Jesus Manietado, salvai o mundo do erro que o ameaça.

                Ó Virgem Dolorosíssima, as Vossas Lágrimas derrubaram o império infernal.

 

Camila Martins
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Tags:

  ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●    ●  

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça a sua doação e ajude a manter a nossa comunidade ativa e próspera

Conteúdos Relacionados

Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar todos os cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing.
Políticas de Cookies
Configurações de Cookies
Aceitar todos Cookies
Ao continuar a navegar ou clicar em "Aceitar todos os cookies", você concorda com o armazenamento de cookies próprios e de terceiros em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing.
Políticas de Cookies
Configurações de Cookies
Aceitar todos Cookies